sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Os 9 inventores brasileiros que não consta em nossa história ou na história mundial:

1) Santos Dumont: De quem é a patente do avião, Santos Dumont ou irmãos Orville e Wilbur Wright? Sabe-se que 14-bis, foi o primeiro avião que foi impulsionado com motor a combustão e pioneiro na decolagem autônoma enquanto os irmãos Wright foi com a ajuda de uma catapulta principalmente necessitava do vento para se erguer no ar, não possuindo sistema de direção. O voo dos irmãos Wright ocorreu com a presença do presidente do banco da cidade e alguns funcionários públicos enquanto do Santos Dumont foi com a presença de especialistas, jornalistas e milhares de pessoas presenciaram o fato, tanto que o voo foi marcado com 15 minutos de decolagem.

2) Roberto Landell de Moura: foi um padre católico, cientista e inventor brasileiro, considerado como o patrono dos radioamadores do brasil e o pai brasileiro do rádio, foi pioneiro nos experimentos de ondas eletromagnéticas sendo o primeiro a transmitir sua voz num rádio com sucesso tanto que foi ele quem criou o telefone sem fio e o telégrafo sem fio. Porém, no mesmo ano, o italiano Guglielmo Marconi, mundialmente considerado o pioneiro da radiotransmissão e inventor do primeiro sistema prático de telegrafia sem fios (TSF), em 1896, só conseguiu transmitir sinais telegráficos (aquele "tec-tec-tec") a algumas centenas de metros no canal da mancha, em 1899. O nome de Landell só foi conhecido no mundo em 1942, quando a Justiça americana decidiu que Marconi (que leva a fama até hoje) não era o inventor da radiotransmissão.



3) Nélio Nicolai: foi inventor da tecnologia de identificação do número telefônico de quem faz e recebe ligações, o nome de sua invenção é chamada BINA que significa "B identifica o número de A". Hoje, ele trava com a justiça brasileira e de vários países para provar que o invento é seu, ele alega que as operadoras e fabricantes de telefones copiaram sua tecnologia que ele inventou, sem pagar ou até mesmo garantir os direitos autorais de sua obra.


4) Augusto Severo de Albuquerque Maranhão- brasileiro, apresentou o primeiro projeto de dirigível móvel "semi-rígido" - em vez de usar apenas tecido, parte da estrutura do invento tinha uma armação de metal para melhorar a sustentabilidade. Criatura e criador tiveram um fim trágico: no vôo inaugural, quando o dirigível estava a 400 metros de altura, uma explosão detonou o aeróstato e matou os dois tripulantes - Severo e seu mecânico. Apesar de pouco conhecidas, as inovações estruturais do dirigível semi-rígido ajudaram a aperfeiçoar o zepelim, inventado em 1900. 


5) Bartolomeu de Gusmão- fez perante a corte portuguesa cinco experiências com balões de pequenas dimensões construídos por ele: na primeira, realizada no dia 3 na Casa do Forte, o protótipo utilizado pegou fogo antes de subir; na segunda, feita no dia 5, noutra dependência do palácio, a Casa Real, o aeróstato, provido no fundo duma tigela com álcool em combustão, se elevou a 4 metros, quando começou a arder ainda no ar, sendo imediatamente derrubado por dois serviçais armados de paus, receosos dum incêndio aos cortinados do recinto; na terceira, feita no dia 6 novamente na Casa do Forte, o balão, contendo no interior uma vela acesa, logrou fazer um vôo curto, mas se queimou no pouso; na quarta, feita no dia 7 na praça do comércio, o balonete elevou-se a grande altura, pousando lentamente minutos depois; na quinta, feita no dia 8 na Sala das Audiências, no interior do Palácio Real, o globo subiu até o teto do aposento, aí se demorando, quando enfim desceu com suavidade. A idéia surgiu quando o religioso observou uma bolha de sabão e sacou que o ar quente é mais leve que o ar exterior, e pode ser usado para fazer coisas vagar pelo ar. O balão foi visto com graça, mas ninguém botou fé na invenção. Em 1783, os franceses Étienne e Joseph Montgolfier criaram um balão nos mesmos moldes do Passarola. Entraram para a história como pioneiros.


6) Manuel Dias de Abreu- Em 1921 publicou uma obra pioneira sobre a interpretação radiológica das lesões pulmonares chamada Radiodiagnóstico na tuberculose pleuropulmonar. Em 1935, em decorrência dos aprimoramentos dos aparelhos fotográficos, retomou suas experiências no antigo Hospital Alemão do Rio de Janeiro. É nesse período que o cientista concebe um método rápido e barato de tomar pequenas chapas fotográficas dos pulmões para maior facilidade de diagnóstico, tratamento e profilaxia da tuberculose e do câncer de pulmão. Era a invenção da abreugrafia, nome dado em homenagem ao cientista e reconhecida em 1936 pela Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro e depois adotada universalmente.


7) Francisco João de Azevedo- A invenção do padre Azevedo parecia com um piano de 24 teclas que imprimiam letras num papel - para mudar de linha, era preciso pisar em um pedal na parte de baixo do aparelho. Alegando estar velho e doente, o padre entregou seu invento ao negociante George Napoleon Yost, com a promessa de que havia pessoas interessadas em fabricá-lo nos Estados Unidos. Em 1874, o americano Christofer Sholes apresentou um modelo quase igual ao do padre Azevedo. A empresa Remington se interessou e passou a fabricar as máquinas, sem nem lembrar do brasileiro.


8) Julio Cezar Ribeiro de Souza- O paraense Julio Cezar mandou bem unindo o balonismo e a aviação para conceber o primeiro dirigível de todos os tempos. Mas o problema é que ele demorou para dar asas à novidade... Em 1884, o cara recebeu a notícia de que os franceses Charles Renard e Arthur Krebs haviam plagiado o seu projeto e realizado pela primeira vez na história um vôo a bordo de um balão dirigível. E o pior: sem fazer qualquer referência às teorias do inventor brasileiro! Apesar de ter patenteado sua invenção em 1881, Julio Cezar nunca conseguiu voar com seu invento. Foram algumas tentativas frustradas e só.


9) Hercules Florence- Nascido na França e radicado na atual Campinas (SP), esse franco-brasileiro foi quem primeiro descobriu uma forma de gravar imagens com o uso da luz. Ele bolou um método para imprimir fotos usando papel sensibilizado com nitrato de prata - princípio fotográfico usado até hoje em revelações. Nascia a photografie. Três anos depois, o processo de revelação fotoquímica ganhava notoriedade na França com as pesquisas de Louis Daguerre e Joseph Niépce. Ao saber que os franceses estavam sendo considerados os pais da fotografia, Florence abandonou as pesquisas.

14 comentários:

Lucas Adonai disse...

Caramba, nao acredito que o pai da aviação nao consta na historia mundial!

blogger disse...

Em alguns países ele não consta, mais a outros que sim, ele é lembrado como os irmãos Wright.

Geeker 2000 disse...

Vejo que és bom em história hein amigo?! bacana,um post de qualidade e falando sobre nosso Brasil,é raro isso hoje em dia! achei bem bacana e imagino o trabalho que não deve ter dado para coletar todas as informações e as pesquisas,parabéns!

Jac Bagis disse...

De todos aqui descritos, só sabia do Santos Dumont!

Adão Filho disse...

legal

@biia_anca disse...

parabens pelo trabalho! realmente não sabia de alguns...

davi disse...

muito bom http://bloggdoanonino.blogspot.com.br

Kamila disse...

Eu não conhecia quase todos da lista, apenas os dois primeiros. O Santos Dumont, que é pai da aviação, claro e o padre Roberto de Moura.
Mas os outros passam desconhecidos por mim. Uma pena eles não terem sido reconhecidos pela história. :(

Victor Lourenço disse...

Para nossa trsteza, Santos Dummont não é o pai da aviação. O único país que defende isso é o Brasil...

Adão Filho disse...

Legal

Larissa Linhares disse...

Raro encontrar um gênero de posto assim. Tu parece dominar bem a história geral e gostar disso. Parabéns, gostei do que escreveu e pra quem gosta e sempre quer aprender mais. É uma ótima indicação

Állef Diego disse...

Gente, em pensar que eu nunca tinha visto isso antes. muito bom, show!

JEANN DFL disse...

Fascinante isso!

vitor saito disse...

Muito boa essa matéria!