quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Nióbio, a riqueza brasileira.

  Nióbio, é um metal que o mundo inteiro o requisita, sem ela não haveria: turbinas, armas, submarinos e afins, no Brasil somos considerados um país que possui mais de 98% das reservas no mundo todo, mesmo que este metal seja super-valioso, porém o valor internacional deste minério é desprezado e explorado por empresas multinacionais como Reference Metals Company Inc, CBMM Asia Co. Ltd., Niobium Products Company Gbhm indústrias estrangeiras que prejudicam nossa economia como também existe o contrabando desse minério, que na maioria das vezes, é mandado para países vizinhos para ser comercializado, porque este metal não é noticiado e porque a mídia não denuncia estes atos? Simples, tanto a mídia que é patrocinado na maioria das vezes, por empresas estrangeiras censuram todo o tipo de informação a respeito deste minério e apenas dão notícias em muitos dos casos de que a exportação está atingindo um progresso e que o país ganha cada vez mais reconhecimento, o governo faz algo contra? Não, porque desde que o PT entrou no poder, este partido só serviu de instrumento para seus interesses, pois tanto o PT como outros partidos são financiados e patrocinados desde que se fez campanha do presidente Lula por estas industrias. Fazer menção a este minério, sua utilização e seu preço internacional significam um tabu que não pode ser referido em nenhum momento pela mídia ou pelo governo. Em Araxá, em Minas Gerais que possui grande parte deste minério que é explorado tanto pela CBMM- Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração que pertence ao Grupo Moreira de Salles como a Molycorp uma empresa multinacional vem extraindo cada vez mais desse minério, o custo em quilo corresponde a 400 reais, porém se este minério fosse valorizado quem o extrai poderia ganhar um pouco mais do que o valor atual, e muitas famílias que dependem dele sairiam lucrando com isso como o país. Quando vivo o político Enéas Carneiro por diversas vezes denunciou a omissão das autoridades no que se diz respeito a este minério, que os colegas mais se preocupara em vencer eleições do que valorizar a soberania brasileira tanto como Ronaldo Schlichting que é defensor de uma campanha para por fim as explorações estrangeiras de indústrias que se interessam em nossas riquezas, de acordo com ele se fosse comercializados e taxados corretamente gerariam recursos mais do que suficientes para financiar e sustentar a saúde, a Previdência Social, a compra de caças para a defesa nacional, o projeto do submarino nuclear, o reequipamento do Exército Brasileiro, o Programa Espacial Brasileiro, a educação, a infraestrutura, e tudo o mais que fosse necessário com a redução dos impostos e taxas de juros. Qualquer tipo de riqueza nacional, pública ou privada, de natureza tecnológica, científica, humana, industrial, mineral, agrícola, energética, de comunicação, de transporte, biológica, assim que desponta e se torna importante, é imediatamente destruída ou passa por um inexorável processo de transferência para outras mãos ou para seus “testas de ferro” locais. Deve ser frisada a grande importância do nióbio e a questão do desmembramento de gigantescas fatias de territórios da Amazônia, ricas deste metal e de outras jazidas minerais já divulgadas. EUA, Europa e Japão são 100% dependentes do nióbio brasileiro. Como é possível não havendo outro fornecedor, que nos sejam atribuídos apenas 55% dessa produção, e os 45% restantes saindo extra-oficialmente, não sendo assim computados. Estamos perdendo cerca de 14 bilhões de dólares anuais, e vendendo o nosso nióbio na mesma proporção como se a Opep vendesse a 1 dólar o barril de petróleo. Mas petróleo existe em outras fontes, e o nióbio só no Brasil; Podendo ser uma outra moeda nossa. Não é uma descalabro alarmante? O publicitário Marcos Valério, na CPI dos Correios, revelou na TV para todo o Brasil, dizendo: “O dinheiro do mensalão não é nada, o grosso do dinheiro vem do contrabando do nióbio”. E ainda: “O ministro José Dirceu estava negociando com bancos, uma mina de nióbio na Amazônia”. As pressões externas são demasiadas e visam a desmoralização das instituições brasileiras das mais diversas formas, conforme pode ser comprovado nas políticas educacionais e nos critérios de admissão de candidatos às universidades. Métodos que corrompem autoridades destituídas de valores morais são procedimentos que contribuem para a desmontagem do país. Uma gama extensa de processos que permitam os traidores obterem vantagens faz parte para ampliar a divulgação da descrença, anestesiando o povo, dando a certeza de que o Brasil não tem mais jeito. Quem não se lembra da época de ouro de Vargas quando este colocou em prática a campanha do Petróleo é nosso, nessa época indústrias como a Shell tentaram por diversas vezes insinuar que o Brasil não possuía petróleo através de Carlos Lacerda que era seu mediador e intérprete para seus interesses, porém o governo Vargas foi mais adiante e criou uma das maiores empresas que se tornariam uma das mais famosas no Brasil responsável pelo nosso petróleo, a Petrobras.
      Precisamos recorrer, a uma campanha para a valorização desta riqueza porque se formos de acordo com o conformismo, nosso país será desvalorizado ao máximo e as futuras gerações jamais saberão a importância deste país, nem mesmo de suas riquezas para com o mundo, fomos nós que contribuímos para que os Estados Unidos entrasse para a corrida espacial, pela produção bélica de armas e dentre outras aplicações.

6 comentários:

Homer J. Simpson disse...

Todo tipo de riqueza do nosso país deve ser preservada, parabéns pela postagem, nem sabia de metal.

Victor Lourenço disse...

Somos o país com a maior quantidade de recursos naturais. Isso garantirá nosso futuro como uma potência mundial.

Rodrigo Bandas disse...

Acho que algumas riquezas brasileiras são disperdisadas para as industrias estrangeiras. Esse e outros produtos e riquezas poderia fazer nosso pais mais rico.

Helen Thais disse...

de que adianta ter um metal valioso e outras riquezas se o brasileiro é tudo burro?!

Trollando Mesmo
http://qualetrollandomesmo.blogspot.com.br/

Paulão Fardadão Cheio de Bala disse...

A primeira vez q me falaram em nióbio achei q fosse brincadeira, invenção. Uns anos atrás comentei pra um conhecido da universidade, q lida com geologia, e nem ele sabia dessa questão, veja só em q ponto estamos...

Marco disse...

o governo e a mídia acobertam muita coisa, o brasil só vai ser um país rico e desenvolvido se os poderosos pensar menos no bolso deles e mais no país em geral.