domingo, 7 de outubro de 2012

Voto obrigatório deveria ser ou não?

   Pra você o voto deveria ser obrigatório ou facultativo? E como em toda polêmica existem os dois lados. Um que defende a obrigatoriedade, por achar que, sendo um direito tão importante do cidadão, e que define os destinos do país através de seus vereadores, deputados estaduais e federais, senadores, prefeitos e governadores, além é claro do presidente da República, ele deve ser obrigado a votar e exercer a cidadania elegendo o político de sua preferência para determinado o cargo. Em 1934 o voto obrigatório começou pra valer no Brasil (surgiu em 32). Uma forma torta de validar a democracia. Como se aplica a qualquer regime, mesmo os militares o mantiveram, com orgulho, em sua época. Ano que vem festejaremos, o aniversário de 76 anos que entramos nessa estrada. É hora de mudar. Existem argumentos muito bons em defesa do voto obrigatório em um país como o Brasil. Conquistamos nossa Democracia a duras penas. Quanto tempo tivemos de nos calar por vivermos numa ditadura? Já se vão quase 30 anos do fim do regime militar e ainda temos de ser obrigados a votar? Quando que um Direito maravilhoso se transforma em uma aborrecida obrigação? Atrás daquele ridículo comprovante que nos possibilita sermos empregados formalmente, fazermos concurso público, etc. Porque o voto não deveria ser obrigatório? Porque somente eleitores que tivessem interesse pela política – e em atribuir um voto consciente – participariam da eleição. Para o professor de Ciência Política da Facinter Luiz Domingos Costa, essa ideia pode resultar no entendimento do que é um eleitor, por isso alguns podem reunir a capacidade de decisão. “É um argumento bem concebido e que pode levar ao bom debate”, diz Costa. Segundo os cientistas políticos, a consequência negativa do voto facultativo é a queda da representatividade, pois há redução no número de eleitores que comparecem para votar.

  Porém tudo que é por obrigação leva ao descaso e insensatez, caberia aos candidatos conquistar eleitores pra ganhar votos, claro de forma legal, mas sendo o voto obrigatório pra que tanto empenho em se fazer entender pelo povo? Ou pra que se preocupar com moral, nome, atos e vida digna se não é isso que leva eleitores a votar, mas sim a obrigatoriedade.

   A manutenção do voto obrigatório, mesmo numa comissão que está elaborando propostas para o debate, é manifestação óbvia de um atraso. Se votar é um direito, como dizem, não pode ser uma imposição. Que eu saiba, eu não tenho “direito” de pagar imposto, mas dever. O político Humberto Costa (PT-PE), que entende muito de PT e pouco de democracia, explica por que ele quer voto obrigatório: “Os que não querem exercer o direito do voto já podem hoje votar nulo ou em branco.” É como se Costa dissesse que pagar imposto é um “direito” porque aqueles que o fazem podem protestar. É uma piada! Tanto que a conversa do petralhistas para eleger os seus colegas é de que a decisão final para o cargo, portanto de todos os subalternos, de “situação” e “oposição”, acerca do encaminhamento da política nacional já está tomada. Caberá ao eleitor decidir, se para o encaminhamento para o progresso do estado ou país, deve-se eleger aquele singelo candidato pois este pode fazer determinadas reformas que ajudaram o povo em termos de infraestrutura, educação, transporte e etc, portanto contra os interesses do povo brasileiro deverá ser eleito o/a candidato/a A, B ou C.
    Alienação está mais presente na televisão, que por conta de seus patrocinadores financiam o voto obrigatório, com determinados conceitos para um voto consciente, um voto consciente é quando nós deixarmos de votar e em determinado período de eleição depois de 4 anos, estarmos cientes de como foi o indivíduo de nossa cidade, pois saberá ele de sua existência como cidadão, e fará de tudo pra se manter nas próximas eleições cumprindo com suas propagandas eleitorais, esse tipo direito poderá impor um regime contra o elitismo presente em nosso governo atual.

4 comentários:

Paulão Fardadão Cheio de Bala disse...

Hoje q é dia de votar obrigatório.

Victor Lourenço disse...

Infelizmente o brasileiro não tem mais ideia da importância do voto. A obrigatoriedade pode ser um mal necessário, mas se apenas as pessoas que quisessem fossem às urnas, talvez escolheríamos melhor.

Kira Kuran disse...

Hey seguindo aqui

Eu simplesmente acho ridículo ser obrigatório o voto
Acho que se as pessoas fossem mais sérias no Brasil não seria preciso ser obrigatório, mas né '-'

http://allstaresaltoalto.blogspot.com.br/

- Mariana Ferrer disse...

Tinha que ser facultativo.