segunda-feira, 5 de novembro de 2012

TAV, para você seria uma vantagem ou uma desvantagem ao Brasil?

  No Brasil, sediaremos à copa que será em 2014 e as Olimpíadas que será em 2016, muitos projetos estão sendo feitas ou não por todo o país, dentre muito deles, temos a TAV... O que seria a TAV? Trem de Alta Velocidade, mais conhecido como Trem-bala. Qual seria esse projeto? Transportar passageiros em menos de 80 minutos do Paraná até Minas Gerais, seu trajeto teria uma extensão de aproximadamente 518 km, sendo 26% de viadutos ou pontes e 33% de túneis, podendo chegar a uma velocidade de até 280 km/h, quais seriam suas vantagens? Viabilizar o desenvolvimento das regiões sudeste e sul do país, reduzir o congestionamento e o número de acidentes das rodovias, diminuir a emissão de carbono (CO²), positivo para os trabalhadores os quais evitariam de se atrasar para o trabalho ao empreendorismo. Porém, o projeto foi iniciado desde cedo, em 2002, e foi feito um leilão realizado em 2011 não apareceu nenhuma empresa interessada simplesmente porque este é um projeto inviável do ponto de vista empresarial, considerando a necessidade de investimentos e as possibilidades de lucro. Para resolver o problema, o governo resolveu criar a estatal para subsidiar o projeto com investimento de recursos públicos, comprometendo-se em assumir possíveis prejuízos com o sistema, porém a oposição governamental vai contra o projeto pois de acordo com eles, um investimento desta magnitude pode não trazer boa coisa, pois seria um gasto de aproximadamente 8 bilhões de doláres além da manutenção que já seria outro gasto extravagante, pago por todos nós e por cada contribuinte e o custo das passagens seria 200 reais para apenas uma pessoa. Já o ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, defende o projeto e segundo ele, o TAV fortaleceria os modais ferroviário e hidroviário como meios de transporte de carga para desafogar as rodovias brasileiras e há razões econômicas para isso, além do Brasil ser uma das campeãs na utilização do combustível a fóssil, “O Brasil ainda não conseguiu, mesmo no campo rodoviário, estruturar a sua rede básica de transportes e há um grande desafio a ser vencido. É um equívoco imaginar que, ao investir nos transportes ferroviário e hidroviário, haveria um encolhimento dos prestadores de serviço rodoviário. Isso não acontecerá no Brasil, porque o transporte rodoviário tem sua esfera de atuação que é intransferível”, diz o Ministro. O leilão, será em 2013, o governo licitará obras de infraestrutura e superestrutura no valor de cerca de R$ 26 bilhões. O Governo ainda trabalha com a ideia de que o operador será responsável também pela implantação da superestrutura, porém a responsabilidade seria de quem está fazendo toda a parte (da obra) de infraestrutura. O governo também deverá acolher manifestação de operadores interessados na consulta pública do TAV, que pediram ampliação de seis para oito meses do prazo para entrega de suas propostas. Já alguns pedidos de redução da frequência mínima dos trens, apresentados nas consultas, não serão atendidos. Porém, você se pergunta o operador seria um brasileiro? Ainda que, seja por parte dos investimentos sejam nacionais e seja para "beneficiar" parte da população, este operador não será brasileiro, será um estrangeiro que já tem no mínimo, experiência em operar TAV. Apesar das mudanças, o governo não descarta fazer o leilão da infraestrutura em 2013. Segundo ele, a Empresa de Projetos e Logística (EPL) já está trabalhando no projeto de engenharia, após a escolha do operador. 

6 comentários:

Victor Lourenço disse...

Em um país de dimensões continentais seria de grande importância.

Matheuslaville disse...

Concordo com Victor ,porem quem vai transforma em uma grande potencia eu não sei ,porem tem tudo para ser em aspectos geográficos....

Zetrusk disse...

Belo projeto? Mesmo? E a fome, e a miséria? O Brasil só vai evoluir quando o governo se importar com quem está aqui dentro e não quem está la fora se preparando para vir a copa ou as olimpíadas aqui. Este projeto ajudaria muito, mas as sugas por trás disso o faz ser ridículo. Já devíamos ter isso a muito tempo, engraçado que por possuir o nome "projeto" da a sensação de que está sendo construído... É uma lástima ver muitos confiarem nessas propostas depois de tudo que o brasileiro já passou.

Ana Estevan disse...

É mesmo incrível que um país como o Brasil ainda não tenha um trem bala, que ainda tenha tanta miséria e fome, que não tenha um sistema de saúde digno para todos... O fato é que se tivéssemos tudo isso, faltariam promessas para serem feitas pelo políticos, seria mais difícil levar o povo no papo principalmente se tivéssemos uma boa educação. Sendo assim tudo o que precisamos nesse país será sempre uma esperança distante.

Marco disse...

vai ficar só no projeto mesmo, o brasil quase nem tem metrô.

Leoni disse...

Planejar trens de alta velocidade TAV antes de trens regionais de passageiros é colocar a carroça na frente dos bois, e se governar é definir prioridades, entendo ser as prioridades no Brasil pela ordem;
1º Trens suburbanos, Metrôs domésticos e VLT Veículos leves sobre trilhos;
2º Expansão da ferrovia Norte Sul rumo ao Triângulo mineiro e Centro norte de SP (município de Colômbia) pelas ferrovias existentes e Ferroanel com rodoanel integrados com ligação Parelheiros Itanhaém, para cargas e passageiros;
3º Trens de passageiros pendulares regionais (Até 250 km/h);
4º TAV (Acima de 250 km/h), não existe nas Américas, inclusive nos EUA. (Somente após os três primeiros estiverem consolidados)
E com relação ao cenário mundial seria;
1º Integração Nacional;
2º Integração Sul Americana;
Trens de passageiros regionais são complementares e não concorrentes ao futuro TAV, pois servem as cidades não contempladas, inclusive Campinas com mais de 1,2 milhões de habitantes e potencial econômico maior do que alguns estados, e muitas capitais do Brasil, portanto comporta as duas opções.
Pelo proposto as mesmas composições atenderiam de imediato aos trens regionais planejados nas maiores cidades brasileiras ~150 km/h utilizando alimentação elétrica existente em 3,0 kVcc, a curto prazo, já dando a diretriz do Plano Diretor quando fossem utilizadas no TAV, aí utilizando a tensão e corrente elétrica de 25 kVca, com velocidade max. de 250 km/h, uma vez que já foi determinado pela “Halcrow” velocidade média de 209km/h para o percurso Campinas Rio previsto para após o ano de 2020, se não atrasar como a maioria das obras do PAC, ou seja longo prazo, este modelo é inédito no Brasil, porém comum na Europa.
Para esclarecer; Não se deve confundir os trens regionais de até 150 km/h com os que existiam antigamente no Brasil, que chegavam a no máximo aos 80 km/h por varias razões operacionais, e o fato de trens regionais e TAV serem de operações distintas não justifica que não tenham que se integrar, o que seria uma insensatez sendo que para a estação em SP o local sairá em locais paralelo a CPTM entre Luz e Barra Funda, podendo serem criadas a estação Bom Retiro ou a Nova Luz, no lado oposto em que se encontra a Júlio Prestes.
Várias montadoras instaladas no tem tecnologia para fornecimento nesta configuração, inclusive os pendulares Acela e Pendolino que possuem uma compensação de suspenção que permite trafegar em curvas mais fechadas, e são mais adequados a topografia brasileira, com altíssima porcentagem de nacionalização.
Para a integração ferroviária Sul Americana, e as principais economias após o Brasil são a Argentina, e Chile, e ambos, possuem majoritariamente a bitola de 1,676 m, (Indiana), sendo que só a Argentina possui mais de 23 mil km, o que corresponde, a ~ 4 vezes mais km que a correspondente brasileira, e km praticamente em quantidade igual a nossa métrica, e em consulta a técnicos argentinos e chilenos, os mesmos informaram serem infundadas as informações de que circulam no Brasil de que está sendo substituída por 1,43 m, e se um dia esta integração ocorrer, ela será feita com a bitola métrica, que já são existentes em outros países, como Bolívia, Colômbia e Uruguai (mista 1,43 + 1,0 m em implantação), além dos mencionados, tratando-se portanto de premissas equivocadas plantadas sem fundamento.

Mas, quanto ao TAV (Trem de alta velocidade), hum, ”Trens regionais de passageiros poderão trafegar nas futuras linhas exclusivas do TAV”, exatamente como acontece na Ásia e Europa.
Sua previsão é para após 2020, e poucas coisas estão definidas, como estações, trajeto etc, e o modelo projetado devera ser em bitola convergente dos trens regionais existentes 1,6m e que poderá trafegar tanto como trem regional, ou como TAV, porém, as obras deste porte tem até data para começar, mas a sua conclusão, custos e benefícios são imprevisíveis!